domingo, 9 de março de 2014

Dan - Parte I

Acordei e meio bêbada de sono fui à cozinha beber um pouco d'água. Minha mãe já tinha levantado antes e colocado sobre a mesa da sala as rosas que me deste ontem. Virei menininha novamente e sorri. Sorri porque me lembrei que você me ama. Sorri por saber que tenho ao meu lado um homem maravilhosamente bom, inteligente, divertido, gentil e, acreditem, que é louco por mim.
Fiquei parada ali na mesa, pensando por alguns minutos... pensando como não me cai bem a máscara de mulher macho quando estou com você. Como não consigo, por mais de dez segundos, bancar a durona com você. Como não conseguimos passar nem meia hora chateados um com o outro.
E concluí: estou exposta mais uma vez. Totalmente vulnerável e sensível, mais uma vez. Em quatro meses, você me enfeitiçou e eu te mostrei meus mais profundos sentimentos, defeitos e anseios. E ainda assim, me sinto segura, não tenho medo. Porque confio em você. Confio em nós!

Te amo, Dan.

Um comentário:

  1. Sempre me pego pensando em quantas partes seremos, por quantas estações passaremos, como vamos progredir junto com os dias. A conclusão é sempre a mesma: não tenho pressa pra descobrir, tenho você pra percorrer o caminho junto comigo. Estamos juntos. Amo você, Natasha!

    ResponderExcluir