quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Presente de Deus

Ah, a vida! Que presente de Deus maravilhoso, não é mesmo? Ganhamos a oportunidade de evoluirmos, de nos relacionarmos, de conhecermos o mundo, de nos aventurarmos, de trabalharmos duro, de enriquecermos nossos conhecimentos, de otimizarmos nossas virtudes, de corrigirmos nossos defeitos... tudo isso faz parte de um processo prazeroso, demorado, delicioso, doloroso e que exige muita coragem.
- "Coragem, Natasha? Por que?"
Sim, coragem. Os obstáculos são duros, são grandes e são numerosos. Precisamos encará-los com paciência, bom humor, leveza e cuidado. Acho que esse, na verdade, é o grande desafio. Gerenciar os problemas - e resolvê-los - sem deixar a peteca cair. Você consegue? Eu não consigo. Sempre me irrito e o processo de resolução demora mais do que eu gostaria. Considero os que conseguem grandes vencedores.
Por outro lado, também precisamos entender que cada um tem a sua maneira de resolver seus "pepinos". Algumas pessoas adotam métodos considerados eficientes para Joãozinho, mas que podem ser um total desastre se adotados por Mariazinha. Isso vai variar muito de acordo com as preferências de cada um e com seus objetivos de vida, de maneira geral. Pois bem, chegamos ao ponto central deste bate-papo.
Cada indivíduo está vivendo sua própria vida no sistema 24/7 (vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana). Cada indivíduo conhece todas as suas variáveis, todas as vantagens e desvantagens e sabe onde o calo aperta mais. "(...) cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é (...)". É ele quem vai ter que lidar com as escolhas que fizer. É ele quem vai comer a cereja do bolo. É ele quem vai ter que passar noites em claro pra dar conta dos compromissos que assumiu. É ele quem vai sofrer todo o processo de adaptação de qualquer projeto novo que resolver se engajar.
Então, afinal, responda para mim, caro leitor: quem deve decidir o que fazer de sua vida? Quem deve avaliar os caminhos a serem seguidos? Por fim, quem deve fazer essas escolhas? São tantas possibilidades, tantas decisões, tantos problemas pra resolver... quase não conseguimos dar conta de tudo, não é mesmo?
Pois bem, por conta disso tudo, fico impressionada como tem gente por aí que ainda consegue tempo pra dar palpite na vida alheia. Ou pior: na minha vida. Por que não tentam resolver seus próprios problemas antes de vir tentar resolver os meus? Pode ter certeza, querido(a), se a sua opinião for importante pra mim, eu vou pedi-la. Portanto, se você não for o meu pai ou a minha mãe, por favor, faça escolhas que envolvam apenas a sua vida e o seu tempo, ok?
Afinal, Deus deu uma vida pra cada um, pra cada um cuidar da sua!

Um comentário:

  1. Com um sorriso sincero estampado no rosto, vou vivendo minha vida e as soluções para os meus problemas vão aparecendo, os tornando apenas pedrinhas no meu caminho, onde passo por cima, piso e sinto que nem um espinho.

    ResponderExcluir